Exibindo todos 4 resultados

Atenção Primária à Saúde (APS)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a APS tem como objetivo garantir que a população tenha acesso a serviços abrangentes de promoção, proteção, prevenção, cura, reabilitação e cuidados paliativos ao longo da vida, priorizando estrategicamente as principais funções do sistema como elementos centrais da prestação de serviços integrados em todos os níveis de atenção.

A APS atende as pessoas de forma sistemática, por meio de uma visão integral do cuidado, observando os determinantes mais amplos de saúde (incluindo características e comportamentos sociais, econômicos, ambientais, bem como das pessoas). Portanto, a atenção primária pode atender de 80% a 90% das necessidades de saúde de uma pessoa ao longo de sua vida. Na sua essência, a APS cuida das pessoas e não apenas trata doenças ou condições específicas.

Auditoria em Saúde

A auditoria em saúde constitui importante mecanismo de controle, avaliação e melhoria continua da qualidade assistencial prestada, e ainda em um novo conceito faz correlação da auditoria com um programa de educação permanente. Para tanto, há exigência de conhecimento técnico, pleno e integrado da profissão. O exercício da auditoria em saúde é considerado um processo importante para a boa prática do sistema, focado sempre na saúde do beneficiário.

Compartilhamento de Rede

Trata-se de troca entre operadoras, para gerar economia compartilhada. O objetivo é atuar em uma lógica colaborativa, com resultados positivos para todos. Ou seja, beneficiários podem utilizar a rede de uma determinada operadora que dispõe de serviços credenciados em locais que uma outra não dispõe de rede e vice-versa.

Junta Médica ou Odontológica e Segunda Opinião

Segunda opinião é a avaliação de outro profissional com a finalidade de emissão de parecer técnico para subsidiar decisões. Se houver divergência técnico-assistencial sobre procedimento ou evento em saúde entre a primeira e a segunda opinião pode-se recorrer à junta médica ou odontológica. A segunda opinião pode ser solicitada pelo médico ou cirurgião-dentista, pelo paciente ou pela fonte pagadora.

Por junta médica ou odontológica, entende-se dois ou mais profissionais encarregados de avaliar condições de saúde, diagnóstico, prognóstico, terapêutica, etc, que pode ser solicitada pelo paciente ou familiares, ou mesmo proposta pelo médico/odontólogo assistente.